sábado, 24 de novembro de 2012

ENEM- Alunos da rede pública alcançaram uma média de 474,2 pontos em 2011



Foram divulgados nesta quinta-feira, 22, os dados do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) por escola, referentes à edição de 2011. Foi de 474,2 pontos a média nacional dos cerca de 891 mil alunos da rede pública que fizeram a prova em 2011, enquanto os quase 247 mil alunos de escolas particulares alcançaram a média foi 569,2 pontos.
Ao apresentar os dados, acompanhado do presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Luiz Cláudio Costa, o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, frisou que os resultados do Enem por Escola 2011 servem somente como
Um diagnóstico. 
“É para que cada escola do Brasil possa fazer uma análise pedagógica bem criteriosa de como seus estudantes evoluíram”, salientou o ministro. “O Enem não é um ranking entre as escolas. Ele é insuficiente como instrumento de avaliação do estabelecimento. O Enem avalia o aluno. Não podemos comparar as escolas, com naturezas distintas. Por exemplo, a maioria das escolas do Brasil é de portas abertas.        No entanto, escolas que selecionam os ingressantes tendem a ter um desempenho melhor”, pontuou Mercadante.
A metodologia utilizada para calcular os resultados do Enem por Escola é semelhante à usada na Prova Brasil e só levou em consideração, para fins de divulgação, escolas com no mínimo 10 participantes no Enem e 50% de taxa de participação dos concluintes do ensino médio. Segundo o ministro, o método foi “o mais objetivo possível” e por isso a média final levou em  conta somente as quatro provas objetivas.
Com este perfil, foram consideradas 10.076 escolas, o que representa 40,56% do universo total do exame. Não foram incluídas na média nacional 1.185 escolas com menos de 10 participantes e 13.581 que tiveram índice de participação menor do que 50%. Do total de escolas contempladas, 199 eram federais, 4.968 estaduais, 111 municipais e 4.798 privadas.
Segundo Mercadante, o MEC está planejando um seminário com as melhores escolas do país, tanto públicas e privadas, para contribuir com o conjunto da rede de ensino brasileira. “Queremos trocar experiências para estimular as outras escolas”, contou.
Cotas – O ministro aproveitou os dados do Enem por Escola 2011 para fazer uma projeção com base na lei de cotas sociais e raciais, que entrará em vigor no ano que vem. Ele observou que, do total de 891 mil candidatos da rede pública, os 37,5 mil concluintes do ensino médio com melhor desempenho, que corresponderiam aos 12,5% favorecidos pela lei, alcançaram em 2011 uma média de 630,4 pontos – bem superior à média nacional de 474,2 pontos.

Assessoria de Comunicação Social

domingo, 18 de novembro de 2012

INCLUSÃO- MINISTÉRIO LEVARÁ TECNOLOGIA A ESCOLAS RURAIS E QUILOMBOLAS

O Ministério da Educação ampliará o atendimento do Programa Nacional de Tecnologia Educacional (Proinfo) a 35.440 escolas do campo, localizadas em 4.112 municípios. A iniciativa faz parte das metas do Programa Nacional de Educação do Campo (Pronacampo), lançado deste ano.
Entre as medidas previstas, 50 mil estudantes receberão computadores portáteis, por meio do Programa Um Computador por Aluno, em 4.890 escolas de pequeno porte – de 5 a 20 matrículas. Serão distribuídos computadores interativos para 30.255 escolas e 5 mil laboratórios de informática, em 3.913 escolas, atendendo 982.827 estudantes.
Com o objetivo de atender escolas rurais e quilombolas, o Pronacampo baseia suas ações em quatro eixos: gestão e práticas pedagógicas, formação de professores, educação de jovens e
adultos e educação profissional e tecnológica. 

De acordo com a portaria nº 68, publicada no Diário Oficial da União em 9 de novembro, a ampliação da participação das escolas do campo no Proinfo contempla o eixo quatro do Pronacampo, que objetiva “contribuir para a inclusão digital por meio da ampliação do acesso a computadores, a conexão à rede mundial de computadores e a outras tecnologias digitais, beneficiando a comunidade escolar e a população próxima às escolas do campo”. 

A portaria determina que o MEC viabilize e garanta a entrega e instalação dos equipamentos nas escolas. Os gestores municipais têm até o dia 30 de novembro para manifestar, por meio do Sistema de Gestão Tecnológica (Sigetec) do Ministério da Educação, o interesse em receber os equipamentos e informar a infraestrutura já instalada no local. Os equipamentos serão entregues em 2013. 

Assessoria de Comunicação Social

Acesse o Sigetec

Sexta-feira, 16 de novembro de 2012 - 18:29


quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Aprovada inclusão de novas disciplinas na grade curricular da educação básica


           O Plenário do Senado aprovou nesta quarta-feira (14) o PLS 02/12, que inclui duas novas disciplinas obrigatórias nos currículos dos ensinos fundamental e médio: Cidadania Moral e Ética e Ética Social e Política. A proposta segue para exame da Câmara dos Deputados.
De autoria do senador Sergio Souza (PMDB-PR), o projeto altera os artigos 32 e 36 da Lei 9.394/1996, que fixa as diretrizes e bases da educação nacional. Na justificativa da matéria, Sérgio Souza argumentou que as novas disciplinas seriam importantes para "resgatar valores éticos e morais" na formação dos cidadãos.
A proposta havia sido aprovada anteriormente em decisão terminativa na provada anteriormente na Comissão de Educação, Cultura e Esporte. O relator da matéria foi o senador Cristovam Buarque (PDT-DF), que apontou o "esvaziamento ético" do país.
Mas requerimento apresentado pelo líder do governo, senador Eduardo Braga (PMDB-AM), e assinado por mais oito senadores, levou o texto a votação também pelo Plenário. O Ministério da Educação manifestara descontentamento com o projeto, sob o argumento de evitar "inchaço" da grade curricular.
Na avaliação de Cristovam Buarque, no entanto, dada a desagregação social, representada pela atual crise de valores humanos, faz-se necessário que a escola oriente a formação do caráter dos jovens, fortalecendo a formação dada no núcleo familiar. É imprescindível, segundo o relator, que todos possuam uma visão crítica dos principais fatos sociais e políticos, que conheçam os ditames básicos da democracia, "sem filtros ideologizantes", como apenas a escola pode apresentar.

Portal de notícias do Senado

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Skype é usado como ferramenta educacional por alunos de inglês e até por engenheiros da Nasa


Mais conhecido por baratear ligações e facilitar videoconferências, o Skype não está restrito a esse serviço. Desde 2011, a ferramenta Skype in the Classroom (Skype na Sala de Aula) promove a troca de experiências entre educadores e alunos do mundo todo. Na lista de usuários há de estudantes de inglês a engenheiros da Nasa (agência espacial americana).
O Skype na Sala de Aula é uma experiência do chamado "crowdlearning". No caso dos estudantes, a ferramenta possibilita bate-papos com estrangeiros, que são convidados para dar conferências, sem saírem da classe. De quebra, exige-se dos alunos conhecimentos tanto orais quanto de escrita em inglês ou de outro idioma disponível.
A recente adesão ao Skype na Sala de Aula é da Nasa. No lugar do professor tradicional, são os especialistas e os engenheiros da agência espacial americana que explicam como funciona o universo.

Pacto prevê oferta de cursos de formação para 360 mil professores


O governo federal vai investir R$ 2,7 bilhões até 2014 na formação dos professores de classes de alfabetização em escolas públicas. A 360 mil alfabetizadores em todo o país serão concedidas bolsas para cursos de formação. Além disso, o governo oferecerá prêmios em dinheiro a professores e escolas que obtiverem os melhores resultados.
Os recursos se estenderão à compra de livros didáticos e de literatura e à avaliação do aprendizado das crianças nos três primeiros anos do ensino fundamental.
Essas iniciativas fazem parte do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa (Pnaic), tema do programa de rádio Café com a Presidenta desta segunda-feira, 12, transmitido pela Empresa Brasil de Comunicação (EBC). “Nosso objetivo é fazer com que todas as crianças do nosso país, sem exceção, sejam alfabetizadas até os oito anos de idade”, disse a presidenta da República, Dilma Rousseff. “Isso quer dizer que, com essa idade, toda criança vai ter de saber ler, escrever, interpretar um texto simples e, também, somar e subtrair e ter noções de multiplicar e dividir.”
Segundo a presidenta, 15% das crianças com oito anos de idade não conseguem interpretar um texto ou fazer as contas básicas. “Por causa dessa dificuldade, elas não conseguem aprender as outras matérias ensinadas nos anos seguintes, e muitas são reprovadas; algumas até abandonam a escola”, afirmou.
pacto pela alfabetização na idade certa foi lançado pela presidenta na quinta-feira, 8, em cerimônia no Palácio do Planalto, com a presença do ministro da Educação, Aloizio Mercadante.
Dilma ressaltou ainda que o aprendizado será avaliado. “Todos os anos, as crianças do segundo e terceiro anos do ensino fundamental vão fazer uma prova, que vai verificar se elas realmente estão aprendendo”, afirmou. “Se a prova mostrar que alguma criança está ficando para trás, ainda haverá tempo de ajudar essa criança a aprender na idade certa.”
O objetivo de todo o esforço do governo federal com o pacto, segundo a presidenta, é atrair para a alfabetização os melhores professores das escolas públicas. “Vamos premiar os melhores resultados”, salientou. “Já reservamos R$ 500 milhões para essa premiação, pois achamos que o Brasil deve reconhecer e valorizar as melhores práticas educacionais, os melhores professores e as escolas mais bem-sucedidas.”

Assessoria de Comunicação Social

domingo, 11 de novembro de 2012

Plano de aula


Curso de Tecnologias na Educação: ensinando e aprendendo com as TIC

Plano de Aula
Escola: Municipal Ausônio Araújo
Data: 5 e 6 de novembro
Público Alvo: alunos do 5º ano
Duração das atividades: 200 minutos
Professor(a) Cursista: Maria Lucineide de Macêdo
Tema da Aula: Revisão de textos no computador

Duração da Atividade: Quatro aulas de 50 minutos cada.

O QUE O ALUNO PODERÁ APRENDER COM ESTA AULA
Objetivos: Estabelecer com os alunos a importância da revisão dos textos.           
·         Compreender a importância  de algumas regras ortográficas e gramaticais dentro do sentido do texto.         
·         Desenvolver a  habilidade de refletir sobre o sentido do texto quando se faz a revisão.
·         Investigar no texto modificações necessárias para aperfeiçoamento e clareza  do texto.
·         Desenvolver a habilidade de revisar textos a partir do uso do editor de texto no computador
Conteúdos:
1.    Leitura e escrita
2.    Ortografia
3.    Gêneros textuais
Metodologia:
1ª aula: Inicialmente os alunos irão ler uma historia em quadrinhos só de imagens. Em seguida, transformarão essa história em uma narrativa em primeira, escrevendo-a no caderno.
2ª aula: Da mesma forma que escreveu o texto , cada aluno irá agora digitar seu texto no computador através do Br office Writer.
3ªA partir daí, serão feitas as observações para a revisão textual. Através das ferramentas do programa, o professor poderá indicar o que deve ser alterado no texto e o próprio aluno poderá descobrir investigar seus próprios “erros”.
Alguns aspectos a serem observados pelo aluno no decorrer da 2ª aula
·         Repetição de palavras
·         Escrita inadequada das palavras
4ª aula: Continuação da revisão textual no br office writer
Alguns aspectos a serem observados pelo aluno no decorrer da 3ª aula
·         Uso indevido das letras maiúsculas 
·         A falta de paragrafação e a ausência ou troca de pontuação
Recursos didáticos utilizados:
Livros , caderno e lápis ,laboratório de informática ,computador ,programa Br office writer  
Anexo: Atividade impressa e/ou fotos
Modelo de atividade
1- Esclarecer aos alunos que existem muitas histórias que são contadas utilizando somente imagens.
2. Entregar uma folha para cada aluno com a história O chapéu, de Eva Furnari e pedir que observem a sequência dos quadrinhos.

3- Pedir aos alunos que contem, oralmente, a história em quadrinhos.
4- Pedir que os alunos escrevam a história em narrativa.
5- Digitar e revisar o texto.

REVISANDO

O Chapéu
Em ( faça parágrafo; utilize a tecla tab ) um belo dia de muito sol a bruxa Onilda e seu gato estavam deitados em uma rede pois ocansaço estava demais derrepente   soou um barulho ainda maior e os dois acordaram e olharam para o chão e viram um chapéu pulando para a direita sozinho.
E lá vai o chapéu pulando paraa esquerda sozinho.
Onilda pegou avarinha e tirol o chapéu decima de uma rã que estava embaicho do chapéu.E os  dois ficaram surpresos. Fim!!!
Texto produzido  por aluno
( As palavras com a marcação amarela precisam ser reescritas de acordo com o padrão de normas ortográfica. Observe que o Br Writer office já sublinhou a  maioria delas. Utilize o revisor ortográfico  do programa para auxiliá-lo na tarefa )
       
REVISANDO

O chapéu
Em belo um dia de muito sol a bruxa Onilda e seu gato estavam deitados em uma rede pois o cansaço estava demais de repente soou um barulho ainda maior e os dois acordaram e olharam para o chão e viram um chapéu pulando para a direita sozinho.
E lá vai o chapéu pulando para a esquerda sozinho.
Onilda pegou a varinha e tirou o chapéu de cima de uma rã que estava embaixo do chapéu, e os  dois ficaram surpresos. Fim!!!
(Veja os trechos em destaque e observe o ritmo da pontuação. Ao invés de usar vírgulas, utilize outros recursos como o ponto final. Evite a repetição de palavras)




sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Viagem de estudos da escola Ausônio Araújo à Natal/RN


SAÍDA DE CURRAIS NOVOS
                                                        
                                                    AQUÁRIO DE NATAL

                                                 
  FORTALEZA DOS REIS MAGOS


ALMOÇO NO SESC

PASSEIO NO SHOPPING MIDWAY

                                                      PARQUE DAS DUNAS   

PLANETÁRIO DE PARNAMIRIM

domingo, 4 de novembro de 2012

ENEM - Redação aborda imigração para o Brasil neste século


Nesta edição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), a prova de redação, aplicada neste domingo, 4, tem como tema O Movimento Imigratório para o Brasil no Século 21.  Este ano, houve mudanças na metodologia de correção da redação. Além disso, os candidatos passam a ter acesso ao espelho da correção para fins pedagógicos.
Como ocorria nas edições anteriores, a redação será examinada por dois corretores, sem que um conheça a nota atribuída pelo outro. Agora, caso haja diferença na nota final superior a 200 pontos, o texto será lido por um terceiro corretor. Antes, isso ocorria quando a discrepância entre as duas primeiras notas superava os 300 pontos.
Também a partir deste ano, será acionada uma banca examinadora de excelência caso a diferença entre as notas dos três avaliadores permaneça superior a 200 pontos. Composta por três professores, a banca será responsável pela atribuição da nota final ao participante. O máximo é de mil pontos. A nota final será a média aritmética daquelas atribuídas pelos avaliadores.
Na correção da redação, cinco competências são avaliadas: 1. domínio da língua portuguesa; 2. compreensão do tema proposto; 3. capacidade de selecionar e organizar ideias; 4. conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação; 5. elaboração de proposta para o problema abordado.
Na hipótese de a nota do primeiro corretor ser de 640 pontos e a do segundo, 480 — diferença inferior a 200 pontos —, a nota final da redação desse candidato será a média aritmética das duas. No entanto, caso a nota de um corretor, na competência 1, seja 160 e a de outro, 40, a redação será encaminhada ao terceiro avaliador. Se a terceira nota, nessa competência, se aproximar daquela atribuída por um dos dois corretores anteriores, não haverá necessidade da banca examinadora. A avaliação mais baixa será eliminada.
O estudante terá nota zero na redação se fugir ao tema proposto, apresentar estrutura textual que não seja a do tipo dissertativo-argumentativo, entregar folha em branco, com sete linhas ou menos, copiar os textos motivadores e reproduzir impropérios, desenhos ou palavras de
desrespeito aos direitos humanos.

Assessoria de Comunicação Social

Currículo, projetos e tecnologias


Participei de um trabalho no curso PROINFO onde  o  estudo centrou-se no   tema currículo, projetos e tecnologias . Participei do grupo que contempla um pouco da história das tecnologias na escola pública brasileira.

 A utilização da tecnologia nas escolas iniciou-se no final dos  anos 80, com projetos pilotos em escolas onde ocorriam algumas experiências com computadores em atividades disciplinares e extras curriculares e que ocorriam em contra turnos . Era possível observar que essas   práticas se baseavam nas abordagens instrucionista e  construcionista.

Na abordagem Instrucionista,  o computador é usado somente para transmitir informações aos alunos,  como manuais, exercícios de múltipla escolha.        O computador funcionava como máquina de ensinar.
Na perspectiva da abordagem Construcionista, o aluno usa o computador para construir conhecimentos, usando a criatividade, ele  é  agente construtor do saber, aquele que levanta hipóteses, testa e cria . O educador é mediador que, através do diálogo, conduz  o aluno a pensar sobre o objeto de estudo, indagar  sobre o que está ocorrendo e o que ele pensa que vai ocorrer,  propor diante de situações novas comparações com situações conhecidas, orientar o aluno para busca de informações nas mais variadas fontes e o papel da escola é trabalhar com o conhecimento cientifico, de forma que o aluno desenvolva o novo patamar do conhecimento sistematizado.
O uso das tecnologias nas mais diferentes situações tem implicado em transformações no contexto educacional. Não podemos negar que se configurou um novo cenário para processo de ensino e aprendizagem na escola. Essas inovações trouxeram á tona novas formas de interação potencializadas pelas mídias e principalmente, pela Internet, que se caracterizam pela composição de uma cultura  alimentada  por linguagens e gêneros digitais.
Nesse sentido, é evidente a necessidade da inserção e a integração das mídias ao currículo no âmbito escolar. Ainda destacamos a importância da formação de novos espaços de interação e as novas formas de ensinar e aprender  associadas às diversas possibilidades de trabalharmos com as tecnologias  e mídias na sala de aula, o que implica em flexibilidade do currículo. Esses instrumentos de aprendizagem  devem estar inseridos  ao currículo escolar com o objetivo de fortalecer o processo educativo e, consequentemente, a promoção para uma sociedade digitalizada e democrática.

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

ENEM



MINISTRO RECOMENDA AOS CANDIDATOS QUE TENHAM  CALMA E FAÇAM BOA PROVA
Lembrar-se de levar documento pessoal, com foto, nos dias de prova, além do cartão que confirma a inscrição, é uma das recomendações do ministro da Educação, Aloizio Mercadante, aos estudantes que farão as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) no sábado, 3, e no domingo, 4. “Está tudo pronto. Agora, é momento de todos ficarem tranquilos para fazerem uma boa prova”, disse o ministro nesta quinta-feira, 1º de novembro, no programa de rádio Hora da Educação.
“Em janeiro, vamos ter o Sisu [Sistema de Seleção Unificada], e as maiores chances de vagas são dos estudantes com as melhores notas no Enem”, destacou Mercadante, que desejou sorte aos candidatos. 
Mais de 5,7 milhões de estudantes confirmaram a inscrição para fazer as provas. “É um número recorde”, lembrou o ministro. “O Enem é o segundo maior exame do planeta: são 15.076 locais de prova, que serão realizadas em 1.615 municípios.”
Para garantir a tranquilidade dos candidatos nos dois dias de exame, 566 mil pessoas estarão mobilizadas para a operacionalização e aplicação das provas, que começam em todo o país às 13 horas, de Brasília.
 O ministro também orientou os candidatos a planejarem a saída de casa de maneira a evitar imprevistos no trajeto. Os locais de prova estão indicados nos cartões de confirmação de inscrição, que podem ser impressos na página do Enem na internet.

Assessoria de Comunicação Social
Quinta-feira, 01 de novembro de 2012 - 11:45
Tweet - divulgue esta matéria no twitter 
Confira a íntegra do programa Hora da Educação